A Arca de Noé das bactérias

Rafael Vergne Viana

A tecnologia servindo cada vez mais fundo em nossas vidas

Semelhante ao Norueguês: Depósito Global de Sementes de Svalbard, que virou notícia em 2008, cientistas portugueses estão se mobilizando para criar desta vez um banco de amostras humanas.

Eu venho acompanhando as atividades relacionadas a criogenia há mais de uma década, e existem algumas dúvidas e avanços a serem vencidos, porém, já se sabe que há mais de 300 pessoas usufruindo do serviço, estão congeladas à espera de tempos melhores. Sinistro não? Enfim. Com sementes e microbioticos a coisa fica mais fácil e menos assustadora. Assim devem pensar os fãs de Michael Jackson que constantemente é citado numa teoria de que o Astro está congelado, e não em outro plano.

Em nossa prosa de hoje, tento trazer boas notícias diante destes acontecimentos, e a nossa evidente falta de controle biológico no planeta. Venho aqui dizer que nem tudo está tão péssimo quanto parece.

A professora Maria Glória Bello, do Instituto Gulbenkian de Ciência está reunindo colegas de diversos países para executar este projeto na Suíça ou Noruega, onde o Microbioma Humano será armazenado em baixa temperatura para proteger estas informações sobre estes organismos e poder servir de base para cura de doenças e vacinas no futuro.

O Microbioma são trilhões de organismos microscópicos, que vivem em nosso corpo e contribuem para a saúde em várias formas. E nossos queridinhos trilhões de bactérias estão sendo constantemente ameaçadas, numa perda massiva, -nas palavras da Professora-, por impactos ambientais, alimentação e uso de antibióticos. A ideia do recém-lançado projeto, chamado Microbiota Vault, é a de preservar esses microorganismos benéficos, para que possam ser cuidados, produzidos e, em casos oportunos, inseridos no corpo humano para proteger a saúde das gerações futuras.

Para mim, a importância deste movimento se perceberia, em momentos como este, onde teríamos um banco de amostra, capaz de conter informações como os avanços na luta contra pandemias, avanços que nossos compatriotas brasileiros estão tendo em Sao Paulo, no combate ao HIV, doenças que fomos acometidos no passado, e doenças que poderíamos ter, pela extinção de certos organismos defensores.

Algumas questões políticas, pra variar, estão criando dúvidas sobre estas atividades, como a utilização adequada das amostras e a decisão do momento certo a serem utilizadas ou desenvolvidas. Outro questionamento herdado de 2008 com as sementes, seria sobre a disponibilidade de avanço tecnológico necessário para viabilizar as manobras no futuro.

O que você acha disso tudo? Entre em nosso site, e comente!

Este texto contém citações de: SITE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA.
Cientistas querem construir Arca de Noé de bactérias benéficas. (19/06/2020). Online.
Disponível em www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=arca-noe-bacterias-beneficas.
Capturado em 07/09/2020.