A Questão do Valor

Jean Chamon

Nesse mês falaremos um pouco sobre gestão e valor. Com a grande concorrência atual, os mercados são impulsionados pela escolha. O cliente se encontra na fase em que tem muitas opções podendo escolher produtos por critérios de qualidade, preço, marca, tecnologia, grau de diferenciação ou apenas por status. Nesta situação de grande opção de escolha, o cliente se torna em muitos momentos o controlador do mercado, conduzindo através de suas necessidades e desejos todo o ambiente de mercado, dizendo o produto que quer, o preço que está disposto a pagar e a qualidade desejada.

Nesse mercado surge a questão do valor agregado e em como atribuir valor para o cliente, obtendo vantagem competitiva sobre os concorrentes. Então nos perguntamos o que seria valor em termos empresariais e de gestão. Segundo o Professor de Harvard, Michael Porter (1999) podemos definir valor como um montante que os compradores estão dispostos a pagar por aquilo que uma empresa lhes fornece. O valor é medido pela receita total, reflexo do preço que o produto de uma empresa impõe e as unidades que ela pode vender. 

Quando se concentra a atuação no valor econômico pode-se identificar quatro tipos de valor: 

• Valor de custo, como sendo o total de recursos medido em dinheiro, necessário para produzir/obter um item. 

• Valor de uso, como a medida monetária das propriedades ou qualidades que possibilitam o desempenho de uso, trabalho ou serviço. 

• Valor de estima, com a medida monetária das propriedades, características ou atratividades que tornam desejável sua posse. 

• Valor de troca, como a medida monetária das propriedades ou qualidades de um item que possibilitam sua troca por outra coisa. 

Observando várias definições e autores a noção de valor para o cliente é baseada na percepção da vantagem ou do benefício que ele recebe em cada transação com a empresa. O preço pago é apenas uma parte do esforço para obter o produto ou serviço. O cliente avalia também a rapidez e o conforto para obter o produto e a oportunidade de conseguir o que deseja.

Em um ano de pandemia na qual as relações de valor atingiram aspectos únicos na qual o conforto e as necessidades primarias foram de muitas formas alteradas, empresas como a gigante Amazon são um bom exemplo de como atingir vantagem competitiva por meio de agregação de valor.

Em 2004, após dez anos de fundação a receita anual da Amazon era algo em torno de 7 bilhões de dólares. Em 2018 a corporação atingiu receita anual maior que 230 bilhões de dólares. Nesse cenário a empresa tem crescido a uma taxa de 20% ao ano. É importante observar como a Amazon em duas décadas se transformou de uma simples vendedora de livros online na maior empresa em força de vendas e diversidade do mundo. Um dos grandes direcionadores se dá por trás de uma inovadora e eficiente cadeia de suprimentos que gera e agrega valor aos seus produtos e serviços de forma única. Em um ano de pandemia o gerenciamento eficaz da cadeia de suprimentos nunca foi tão relevante. 

A Amazon se tornou a empresa favorita para muitos devido a razão crucial que se dá pela sua rápida e eficiente gestão da cadeia de suprimentos que é baseada nos seguintes fatores:

• Uso inovador de forma sofisticada de tecnologia da informação;

• Extensiva cadeia de galpões, armazéns e centros de distribuição;

• Gestão de estoque de forma multicamadas e baseada em localização;

• Excelente rede de transporte e logística. 

Os serviços da cadeia de suprimentos da Amazon que tornaram a empresa única e inovadora como as entregas em até duas horas (prime now) ou entrega no mesmo dia somente é possível pela utilização de sua própria rede logística. A empresa com o passar do tempo compreendeu que a dependência de logística terceirizada aumentava em muito o prazo de entrega de seus produtos aos seus consumidores (Leblanc, 2020).

Outro grande diferencial da cadeia da Amazon é a forma única na qual ela gerencia seus estoque e armazenagem. Por exemplo, a empresa utiliza para diferentes tipos de produtos armazéns e galpões de tipos e em localidades diferentes. A empresa ainda seleciona seus produtos por tipo de entrega como por exemplo, prime delivery, one-day delivery, prime now, first-class delivery, entre muitos outros. A empresa baseia seus locais de armazenagem buscando atender as necessidades dos clientes fazendo com isso a sua logística de entrega um dos seus grandes diferenciais.

Sempre inovadora a Amazon em 2019 a empresa iniciou o uso de veículos automatizados chamado Amazon Scout, para entrega nas residências e casas da região noroeste dos Estados Unidos (Taylor, 2019). Podemos observar que a Amazon é uma referência quando falamos em cadeia de suprimentos e em como ela pode inovar e obter vantagem competitiva em sua cadeia de valor.

Citei o caso da Amazon por ser um caso conhecido e para que cada um dos leitores possa refletir que até a maior empresa do mundo deve e deverá estar sempre inovando. Existem inúmeras oportunidades para atingir clientes e gerar novos produtos e serviços. Todo empreendedor deve continuar buscando gerar valor e inovar constantemente. Positividade sempre! Forte Abraço!

About Jornal Brasileiras & Brasileiros