Procurar por:
“A última estatística que vi do condado de Orange foi que em média 30% dos pais optaram pelo presencial”

A escolha entre aula Presencial ou Online

Para este ano letivo, optamos pelo “face to face”, ou seja, presencial para nossa filha que frequenta a Middle School, e para o nosso filho que está na Elementary. Eu e meu marido estamos trabalhando de casa, e no início da pandemia pudemos observar como o afastamento da escola afetou cada uma de nossas crianças. Nosso filho que é uma criança especial, sentiu muita falta de uma rotina escolar e socialização. Chegou a regredir em algumas áreas, principalmente na comunicação, e o choro era mais constante, com saudade da escola e dos amigos. A minha filha não via a hora de retornar. Ela, muito sociável, por várias vezes comentou que preferia usar máscara o dia todo e retornar às aulas do que continuar estudando o dia todo em seu quarto. Sentia falta das amigas, das professoras, e assim como meu filho, da rotina. Por fim veio a decisão a ser tomada: o que escolher? Mesmo sabendo dos riscos, senti muita confiança nas medidas sendo tomadas nas escolas.

Resultado

Até então, já vamos para quase dois meses de aulas presenciais, os dois estão muito contentes. A felicidade estampada nos olhos deles todas as manhãs ao irem para a escola tem nos deixado mais tranquilos de que tomamos a decisão certa para a nossa família. Notem que eu disse que a felicidade está estampada nos “olhos”, pois os sorrisos nesse momento estão escondidos por trás da máscara. Na primeira semana de volta às aulas já notamos grande diferença no nosso filho. O pequeno retrocesso ocorrido durante os cinco meses trancado em casa ja não existe mais. Ele está mais feliz, mais comunicativo, pedindo para ir à escola até quando chegava os finais de semana. O mesmo sentimento percebi na minha filha. Feliz de rever as amigas e segura quanto aos novos procedimentos escolares. A última estatística que vi do condado de Orange foi que em média 30% dos pais optaram pelo presencial. Isso está contribuindo muito para salas de aula com turmas menores, e assim os alunos recebem mais atenção das professoras. Na sala da minha filha tem entre 4 e 10 alunos. O que ajuda muito para manter o distanciamento social e uma educação mais personalizada. 

E mesmo sabendo dos riscos e ouvindo histórias de ocorrências em outras escolas, o interessante é o que todos têm aprendido com isso, pois o cuidado deve ser tomado tanto durante o período escolar quanto nos finais de semana em casa ou viajando.

Alternativas

Acredito que o novo normal chegou para ficar por algum tempo, com isso penso sim que o sistema de educação irá criar novas alternativas para essa nova realidade. Assim como muitos pais estão tendo a oportunidade de aprender mais sobre a educação de seus filhos e pensar mais no que pode ser melhor para cada um. E talvez antes dessa pandemia nunca tinham parado para analisar. Tenho muitas amigas que optaram por métodos alternativos, e está sendo bem bacana o respeito com a decisão tomada por cada uma e a troca de experiências e opiniões.

Nicole Lobo

Renee Lobo – 27 anos em Orlando, FL. Formada em Marketing (UCF), trabalha nessa área há 10 anos. Mãe da Nicole e do Max, esposa do Fábio 🙂

“Nossa família não está no grupo de alto risco. Então, retomamos a nossa rotina respeitando as medidas de segurança”

Presencial

Escolhemos pelo método presencial por acreditar que as coisas precisam voltar ao habitual. Não só a saúde física das crianças (que ao nosso ver é o menor grupo de risco) mas a saúde mental também é crucial e a pandemia tem os dois pontos a serem considerados. Em nossa família nenhum integrante é do grupo de risco, então, retomarmos às nossas rotinas mantendo as medidas de segurança nos tem feito bem. Além disso, saio para trabalhar diariamente e convivo em média com 30 pessoas. Isso não possibilita o isolamento total de minha família, então a escola, com todas as medidas de segurança que estão sendo tomadas, não apresenta um risco maior do que minha própria rotina de trabalho. 

A experiência das aulas digitais e cumprimento das tarefas no final do ano letivo passado também não foi boa e eu e meu esposo não conseguimos acompanhar e ajudar as meninas como era necessário, até as discussões por causa da escola aumentaram. 

Resultado 

Até o momento, percebo que o mais difícil para as meninas é não poder se comunicar durante o lanche e para minha filha mais velha, Valentina, de 11 anos, é a falta de algumas amigas que estão no sistema digital. No ponto de vista dela e da minha filha do meio, Ester, de 6 anos, não ter mais a hora do snack e não poder conversar durante o almoço são motivos que as desagradam muito. Minha filha mais velha não reclama da utilização da máscara; já, a mais nova reclama diariamente. 

As duas prefeririam fazer aula on-line, mesmo assim eu e meu esposo achamos que a volta do hábito de ir à escola é o mais saudável, além de permitir que possamos voltar à nossa rotina profissional. 

Nossa bebê de 6 meses, Aurora também está indo diariamente ao Day Care. 

Tendência

Acredito que todos os sistemas de comunicação e educação sofreram adaptações e muitas delas para melhor. Mas não acredito que a tecnologia possa substituir por completo a convivência e a experiência do convívio e do aprendizado no meio coletivo. 

Nada substitui a experiência do aprendizado através do relacionamento e não consigo ver um mundo melhor se o convívio e aprendizado das crianças forem completamente pelo método virtual.


Valentina, Aurora, Bia, Otto e Ester
“Temos que pensar nos efeitos psicológicos gerados pelo período de quarentena pela pandemia”

Só levar à escola se estiver 100%

Escolhi aula presencial para meus filhos porque acho importante as crianças irem à escola, ter contato com os colegas, com a professora, uma pessoa que estudou e se dedica a ensinar ao lado deles. A criança indo à escola aprende a viver em comunidade, a conviver com outras pessoas diferentes dela. Trocam experiências culturais e praticam atividades apropriadas para a idade. O aprendizado também é melhor do que em casa ao lado dos país. Na escola fazem novas amizades e se distraem durante o dia. Temos que pensar nos efeitos psicológicos gerados pelo período de quarentena provocado pela epidemia. O estresse gerado pelo distanciamento social é bastante significativo e pode gerar impactos emocionais tanto aos alunos quanto aos profissionais. A minha profissão não permite que eu trabalhe de casa, então não posso estar ao lado dos filhos o tempo todo com a tarefa de ensinar o que a escola oferece. 

Precisamos dar mais atenção no comprometimento com a segurança. Não mandar a criança para escola quando ela apresentar algum sintoma da doença, evitando assim o contágio com professores e alunos. Se o seu filho não estiver com a saúde 100%, ele deve permanecer em casa.

Por enquanto o resultado é satisfatório

Por enquanto o resultado está ótimo. Eles estão amando ir à escola e interagir com amigos e professoras. A escola sempre tem atividades divertidas para ensinar de um jeito diferente que as crianças amam. O meu filho mais velho começou uma escola nova (Middle School) e está adorando a experiência: aprende a ter mais responsabilidade e liberdade; já não é mais tratado como uma criança. Os meus dois filhos do meio continuam na mesma escola (Elementary). Estão felizes por encontrar os mesmos amiguinhos e professoras do ano passado. Minha caçula começou agora o Daycare e está no processo de adptação. Está amando brincar com os amiguinhos e fazer trabalhos artezanais. Pelo aprendizado dela, dá pra notar que está gostando e está super interessada.

A internet é o grande desafio

Não sei quais alternativas poderiam ser implementadas para melhorar a área da Educação à distância após pandemia. O mundo está se transformando rapidamente em todos os aspectos da sociedade. O impacto que as mudanças tecnológicas causam no processo de ensino-aprendizagem impõe aos educadores uma reavaliação do currículo para acompanhar as transformações do mundo moderno.


Rafael, Alexandre, Fernando e Gabriella

Daniela Salvetti De Cicco nasceu em Campinas, SP. Mudou-se com os pais, Celestino e Lucia, e com o irmão, Celestino Jr. para os USA, com 10 anos de idade. Vive em Orlando com quatro filhos: Alexandre, 11; Fernando, 10; Rafael, 6 e Gabriella, 3 anos. Tem um parceiro ao seu lado, Bruno Oliveira, pai do Ben, 1 ano.Tem quatro filhos “peludos”: Golden (Charlie), Westie (Buddy), Cocker (Bella) e Shih Tzu (Belle).Trabalha no ramo imobiliário na empresa da família Cf Realty e Cf Vacations.

“O ensino à distância precisa de muita disciplina e atenção redobrada”

Educação Online 

Eu tenho dois filhos, 12 e 15 anos. Desde o início, a minha decisão foi colocar os meninos em home school, tendo conhecimento do risco que uma criança pode transportar, trazer o virus e transmitir a doença mesmo sem ter nenhum sintoma. Os adolescentes não conseguem seguir todas as regras de segurança mesmo conscientes. São muitas novidades, distanciamento social, preocupação em lavar as mãos e esterilizar a todo momento, isso exige tempo para se tornar um hábito.

O ensino à distância precisa de muita disciplina e atenção redobrada. Uma preocupação foi organizar o espaço, com móveis e iluminação adequadas e fazer uma rotina para que a criança possa ter um bom rendimento neste período.

Montei meu escritório em casa para poder acompanhar de perto o ensino das crianças. Acredito que o ensino online tem que evoluir muito para que tenha o mesmo desempenho que o ensino presencial, mas foi uma excelente solução para este momento crítico que vivemos .

Aula presencial faz uma enorme diferença

A experiência de ensino online me provou que o desempenho de aprendizado não é o mesmo. Pode ser mais cômodo e fácil estar em casa, mas o contato pessoal, interagir com os professores e colegas fazem uma enorme diferença.

A socialização  faz parte do aprendizado e educação, sinto que o prejuízo é grande neste quesito, mas por outro lado as crianças tˆEm que desenvolver outras maneiras de interagir e aprender, desenvolvendo uma independência emocional. 

Os professores são heróis, além de desenvolver novos conteúdos, tiveram que aprender a usar a tecnologia e criar novas formas que possam manter a atenção dos alunos que estão em suas casas.  

Observei que os professores que fazem vídeos curtos, tarefas, hora de dúvidas, leituras e testes, por exemplo, tem mais sucesso que longas aulas gravadas ou com o professor apenas falando. Deve haver muito dinamismo e tecnologia para obter sucesso.

O resultado até o momento tem sido satisfatório, mas estamos longe de ter um ensino de qualidade à distância. Falta material adequado, treinamento de professores com a nova dinâmica e materiais, que possam gerar a curiosidade do aluno para aprender mais, porque ensino à distância muitas vezes o aluno tem que ser mais autoditada, ter o interesse em pesquisar e se aprofundar no conhecimento.

A nova alternativa ainda requer aperfeiçoamento para ser eficaz

Acredito que a pandemia quebrou o paradigma do ensino online, que foi uma grande conquista. Para que isso realmente funcione no futuro deverá ter muito investimento em tecnologia e aperfeiçoamento dos professores com as novas ferramentas. 

Para mim, a primeira lição é que precisamos formar professores capazes de ensinar por várias modalidades e que saibam integrar a tecnologia no processo de ensino-aprendizagem. Isto significa formar professores para novas maneiras de interação com seus alunos e para o planejamento de experiências de aprendizagem diferenciadas.

O objetivo hoje é criar novas ferramentas para aumentar o dinamismo deste processo. Desenvolver materiais interativos e com denso conteúdo. O ensino online pode ser muito interessante e funcional, mas estamos longe de um sucesso acadêmico através deste modelo.

Quando o aluno puder interagir com alta tecnologia e performance, conteúdos holográficos e informações de uma forma visual, atraente e que possam realmente participar ativamente deste processo poderá ser uma nova alternativa. Ainda assim perderemos na socialização que acredito ser muito importante na formação do ser humano.



Luciana Gonçalves Eliseu
Empresária, mãe de 2 meninos, 45 anos.
Atua na área de decoração,
tecnologia e investimentos em Forex .
Mudou para os USA, há 5 anos, com
intuito de obter novas oportunidades
para a família, ensino,
cultura e segurança.
lueliseu@me.com
“O medo do contágio em um de nós da família pesou bastante”

Escolha  Online

O primeiro motivo que nos levou à decisão era o convívio com o avô, com sérios problemas de saúde. O medo do contágio em um de nós da família pesou bastante, pois tivemos familiares no Brasil que sofreram consequências sérias com a Covid. Escolhemos o LaunchED (ensino remoto) por essas razões e também porque trabalho de casa, podendo observá-las e acompanhá-las de perto. 

Resultado

Bom, o resultado do desenvolvimento escolar varia de criança para criança. Tenho duas filhas, uma consegue ser mais disciplinada com o estudo em casa e acompanha tudo super bem. A outra tem um pouco mais de dificuldade, tenho que estar com ela uma boa parte do tempo para ajudá-la, isso dificulta um pouco a questão do meu trabalho, pois acabo atrasando o meu para estar com ela.

Uma nova realidade

Sim, com certeza acredito que o sistema de Educação irá inovar, pois normalmente eles fazem atualização anual e a cada dia estão se adaptando à nova realidade para alunos dos modelos virtual e presencial.


Gisele Marson mora em Orlando, 
desde 2006. É mãe da Lara e Luana
Aula Presencial, Virtual ou LaunchEd?

Meire Damaceno

Diferenças entre os três aprendizados na visão de uma especialista

A pandemia do novo coronavirus acarretou diversas transformações no que diz respeito à educação dos nossos filhos. A recomendação de quarentena e isolamento social dada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi amplamente adotada pelas escolas nos EUA. A alternativa encontrada pelas instituições educacionais foi aderir amplamente a Educação à Distância. As aulas online agora passaram a fazer parte da rotina dos estudantes em todo o território nacional. 

O plano implementado no estado da Flórida e na maioria dos outros estados inclui 3 modelos de aprendizado:  aulas presenciais (face-to- face), escola virtual (virtual) e o LaunchEd (innovative learning).

De acordo com o  Orange County Public Schools,segue a descrição de cada estilo: Presencial 

(Face-to-face)

O aluno tem as aulas na escola, 5 vezes por semana. Professores, funcionários e alunos têm que usar máscaras. É obrigatório lavar as mãos e usar álcool gel. Funcionários e professores tiram a temperatura dos aluno usando termômetros. Distanciamento social quando possível. 

Escola Virtual 

(Virtual) 

As famílias que não querem que seus filhos retornem às aulas presenciais podem registrar as crianças no  Orange County Virtual School. Assim sendo, os alunos têm tempo e flexibilidade para estudar. Os pais têm que se comprometer por um semestre de cada vez. 

LaunchEd  (Innovative Learning)

Esse tipo de modalidade oferece um livestream de cada aula. O aluno assiste às aulas em tempo real, seguindo o horário de aulas assim como o aluno presencial, following a tradicional “bell schedule”.

As modalidades que tem tido a maior adesão são as aulas presenciais e as aulas via LaunchED.  

Apesar de já ser usado por várias universidades, o ensino online para alunos do Kindergarten à 12a série passou a ser uma novidade para os pais e tem causado muita polêmica.   A dúvida tem sido: o que é melhor para o meu filho? Eu recebo essa pergunta várias vezes durante o dia e compreendo as dúvidas e angústias dos pais que estão sempre procurando o melhor para os seus filhos.

Ao meu ver, as aulas presenciais serão sempre superiores às aulas online.                                                                       

A primeira vantagem do ensino presencial é a questão social do aprendizado. O aluno que assiste aulas presenciais, além de criar uma relação de proximidade com os professores, também tem a oportunidade de desenvolver relações com os amigos de classe. Esse é um fato importantíssimo pois os alunos aprendem a se socializar.  Além disso, há uma importante troca de conhecimentos que vem da interação, das discussões em sala de aula e do planejamento de projetos. Esses fatos ajudam os alunos a aprender a viver em  sociedade.

A segunda vantagem é que, nas aulas presenciais, os professores podem trabalhar com práticas e com metodologias inovadoras. Além disso, o aluno tem uma grande  participação nas aulas. Ele não é somente um ator coadjuvante. Ele pode se tornar um protagonista por ter maior envolvimento no seu próprio aprendizado. As aulas presenciais são muito mais dinâmicas e mantém o aluno bem mais engajado. 

Em tempo de pandemia, muitos pais não se sentem seguros em mandar os filhos para a escola por medo do contágio. Além disso, não há preocupação com o deslocamento para a escola. Nas aulas online o aluno fica mais descansado e tem mais tempo para fazer as suas tarefas escolares. Porém é importante ressaltar que nem todos os alunos conseguem se adaptar às aulas online. Por exemplo, crianças muito pequenas têm dificuldade de concentração e exigem muito mais do professor. Só que o professor está ocupado e envolvido com os alunos na sala de aula. Assim sendo, quanto mais jovem o aluno, mais dificuldade ele terá e exigirá maior participação dos pais durante as aulas.

Outros que não se beneficiam muito das aulas online são alunos que possuem alguma deficiência intelectual, mental, física, auditiva ou visual. Esses alunos devem ter acesso a recursos diferenciados. Infelizmente, fica mais difícil para que eles tenham acesso a adaptações e modificações necessárias que vão de encontro às suas necessidades. Entretanto, cabe aos pais com filhos com necessidades especiais que entrem em contato com os professores para discutir os melhores meios para garantir os direitos desses estudantes na modalidade online. 

Outro tipo de aluno que não se adapta muito bem à modalidade online são os ELL (English Language Learners). São alunos que falam inglês como segunda língua e que acabaram de chegar ao país.  Se o aluno ainda não fala inglês com uma certa fluência, as aulas online podem causar muita frustração. Esses alunos (ELL/ESOL) com certeza irão se beneficiar muito mais das aulas presenciais. Eles precisam de mais interação com colegas e professores em sala de aula para sanar as sua dúvidas mais rapidamente e para que possam aprender inglês mais efetivamente. 

Finalmente, os alunos indisciplinados não são os melhores candidatos para as aulas online. Se o aluno não tiver disciplina, ele irá ficar perdido em meio às tarefas, projetos, provas, etc. Na modalidade online o aluno tem que saber como navegar o sistema utilizado e precisa de muita organização e boa administração do seu tempo. Esse aluno também precisa lidar muito bem com a frustração que pode surgir devido a problemas com a conexão  da internet, com o sistema operacional e algumas vezes, a falta de atenção do professor. 

Finalmente, apesar de crer que a modalidade presencial é superior à modalidade online, gostaria de acalmar os pais que escolheram a modalidade online. Quero lembrá-los que essa fase é passageira e que muito em breve os alunos estarão de volta às salas de aula. 

Essa fase vai passar e os nossos filhos irão superar as perdas que sofreram nesse período e com certeza irão conquistar os seus objetivos acadêmicos.

Meire Damaceno M.Ed é fundadora e diretora do Celebration Learning & Academic Services (CLASS).

Seu interese pelo estudos de línguas levou-a à Universidade da Flórida Central, onde se formou em primeiro lugar da sua turma com um diploma de bacharel em inglês e um mestrado em Educação Magna Cum Laude.

Meire trabalha como professora há mais de 30 anos. Os últimos dez anos foram dedicados às Escolas Públicas de Orange County, onde ela serviu diligentemente como professora de ensino médio. Possui certificações em ensino de inglês, inglês como segunda língua, leitura e português.

Sua vasta experiência como educadora levou-a a criar um programa em que há um foco nos pontos fortes dos alunos, não em suas fraquezas. Seu eficiente método de ensino destaca as habilidades, o esforço, as atitudes e o trabalho de qualidade dos alunos. Isso faz com que seus alunos tenham em que se apoiar à medida que tentam alcançar um passo mais alto em seu aprendizado.

meire@celebrationlanguage.com