“Essa é uma jornada feita de uma longa trilha”

Adriana Matos

Para a empresária Adriana Almeida Matos, o caminho para chegar ao diagnóstico do filho Jonathan, hoje com 9 anos, foi ainda mais complicado. Por ser o primeiro, não se pode fazer comparações com o comportamento dos irmãozinhos mais velhos, o que ajuda muitas mães a desconfiarem de algo.

Embora o menino tivesse dificuldade para se expressar, se jogava no chão, não falava de maneira compreensível, ele foi mal interpretado. Ganhou selo de birrento, criança mimada.

“Confiei na opinião dos médicos que diziam que ía passar e das pessoas que falavam que com o tempo ele iria superar sozinho. E esse foi um grande erro. Ele já estava atrasado no desenvolvimento em relação a outras crianças. Uma boa avaliação diagnóstica teria respondido muitas dúvidas mais cedo”, lamenta-se. 

Quando o transtorno foi identificado, Jonathan passou a fazer fono e terapia ocupacional.  Aos 3 anos, foi matriculado numa escola pública, numa classe especial com suportes específicos. Atualmente, faz vários esportes, como artes marciais e futebol para crianças especiais. 

“Teve um período que passamos a fazer as terapias em casa, eu levava a terapeuta aos lugares onde íamos com o Jonathan para nos ajudar. A escola com ênfase em ABA (Applied Behavior Analysis) foi uma das melhores experiências que tivemos, mas devido à pandemia, hoje ele está no home schooling, e está indo super bem”.

Adriana lembra que no estado da Flórida, até os 3 anos, a criança tem direito a intervenções precoces e avaliação com terapias médicas e educacionais gratuitas. Dos 3 aos 5 anos, o suporte é dado pela escola, mas as terapias médicas só podem ser feitas no particular ou através de seguro médico. Após os 5 anos, a avaliação é mais demorada, mas em qualquer idade, será avaliada e terá um plano educacional individual. 

Outra dica da Adriana que também pode ser útil:

“Através de vários grupos de Whatsapp, Facebook e Instagram, nós, mães de crianças no espectro autista que fazem parte da Comunidade da Flórida Central, compartilhamos dúvidas, oferecemos suporte e trocamos experiência. Nosso grupo anuncia um evento ou uma nova temporada de futebol, e assim nós nos vemos nos eventos. Algumas mães que se tornaram veteranas oferecem mentoria às mães que estão iniciando”. 

Ela se reiventou profissionalmente e hoje trabalha com turismo; especializou-se em viagens para autistas. E sugere mudanças que poderiam facilitar a vida e a interação social das crianças e das famílias:

“Restaurantes podiam ter uma área mais silenciosa e oferecer opções veganas e gluten free. Empresários e instituições poderiam propor eventos que promovessem a interação social de grupos com crianças especiais, ao invés de só fazer palestras e tentar nos vender produtos. Incluir é interagir com nossas crianças, é se envolver com as famílias, e ouvir o que elas têm para dizer. Muitas famílias brasileiras querem participar de esportes, mas notamos que muitos lugares brasileiros não sabem como dar esse suporte, e para isso é importante aprender, informar-se e implementar o que se aprende”.

A empresária deixa também uma mensagem para as mães:

“Essa é uma jornada feita de uma longa trilha. Ande devagar e esteja sempre presente! Se conecte com quem já está lá na frente do caminho. A cura para a família está em sair do isolamento, encontrar pessoas que entendem do assunto. Enfrente o desconfortável lá fora com suportes. Curta os pequenos momentos hoje!”

__________________________________________________

Adriana Almeida Matos é Empresária na área de viagens de luxo pela Amex Travel, especializada como Profissional em viagens em autismo pela IBCCES. E com certificação profissional em Early Childhood Development pela Harvard University.

Adriana é mãe da Julia, de 6 anos, e do Jonathan, de 9 anos, no espectro autista e casada com o Jorge. Nascida em São Paulo, imigrou para os EUA aos 18 anos e vive aqui nos últimos 24 anos. 

É graduada em Música, ensinou orquestras, corais a crianças incluindo crianças especiais. Após o nascimento do seu filho e diagnóstico, reinventou-se nos últimos 10 anos, e mudou para a área de Viagens de Luxo pela American Express Criadora de grupos de suporte e conexões de recursos a famílias brasileiras na Flórida pela Teautismo.org

https://www.instagram.com/eautismo/

About Jornal Brasileiras & Brasileiros