MEDSTATION: OS DESAFIOS DE EMPREENDER NOS ESTADOS UNIDOS

A ideia de abrir uma clínica médica nos Estados Unidos surgiu nos anos de 2010 e 2012 quando os filhos do médico e empresário Neymar Lima vieram estudar nos EUA. “No princípio era uma necessidade como pai médico e depois passou a ser de um projeto que tem como objetivo oferecer atendimento mais personalizado para a comunidade latina porque a demanda era de todo”, explica Dr. Neymar. 

Ele conta que a Medstation abriu em 2013, apenas com consultas. Hoje a clínica oferece consulta médica, laboratório, eletrocardiograma, avaliação cardiológica, todo tipo de teste alérgico e vacinas para alergia, IV therapy, toda parte estética: botox, filler, preenchimento e otimização hormonal.

“Queríamos um sistema de saúde integrado ao modelo americano, mas com as características de relacionamento com o jeito brasileiro de atendimento. Nossa clínica tem um conceito diferente de atendimento, sem bloqueios mecânicos, onde o paciente é atendido por uma pessoa e de forma individualizada”. 

Segundo Neymar Lima, o desafio maior de empreender nos Estados Unidos na área de saúde foi de mostrar aos profissionais que esse modelo americano de atendimento médico deixa a desejar, que podemos sim oferecer um tratamento médico que seja preventivo e completo. “No começo, quando começamos com a Medstation, os médicos que clinicam aqui nos EUA não conseguiam entender que esse modelo de atendimento é possível. Tudo que é diferente do habitual causa desconfiança”. 

O método da Medstation X O sistema de franquias

Hoje a Medstation tem clínicas em várias cidades dos Estados Unidos “Não gosto de franquia. Eu prefiro para cada unidade, cada Medstation seja como uma sociedade, que o empresário seja sócio da Medstation. Ele não vai ficar só quando abrir uma clínica com a gente”. Hoje a Medstation está em Orlando, Sunny Islands, São Francisco, Coral Gables, Lighthouse Point, Tampa, Boston, Boca Raton, Boynton Beach, Los Angeles, San Diego, Weston e Marietta, além da sede que fica em Pompano Beach. “Esses parceiros caminham com a gente. Nós vamos estar juntos para caminhar e ajudar nossos parceiros em unidades locais a replicar o modelo da Medstation”, explicou Neymar.

Qual o formato de atendimento da Medstation?

No sistema americano temos 3 formas de atendimento, o consultório médico  o urgent care, que não trata de longo prazo mas somente urgências médicas e o hospital, que trata tudo. No nosso caso, nós nos desprendemos do modelo americano. Nós somos uma policlínica. Importante explicar que o conceito de uma policlínica no Brasil é pública e de atendimento para pessoas que não têm recursos financeiros para o tratamento médico. No nosso caso, nós somos uma policlínica privada, que oferece tratamentos médicos que são desde o preventivo até o tratamento de doenças.

Na Medstation a saúde do paciente está em primeiro lugar, o nosso foco não é tratar a doença, mas otimizar a saúde do paciente para que ela possa estar na sua melhor condição médica. Uma família precisa de ajuda para a saúde. Na Clínica nós temos todos os especialistas e nosso atendimento tem em mente a saúde do paciente como um todo. Nós atendemos particular e pelos seguros: Signa, Ambeter, Molina, Sigma, Bright, Humana. Só não atendemos Medicare e Medicaid. Hoje atendemos 60 pacientes físicos na clínica por dia e mais de 80% dos atendimentos são para tratamento de primary doctors, sem falar na telemedicina, que vem crescendo muito com a pandemia.

Com a Pandemia, o tratamento de telemedicina cresceu muito. Hoje, a Medstation faz tratamento via telemedicina no país inteiro. Com a telemedicina, o brasileiro de qualquer lugar do país pode ser atendido e medicado. Na telemedicina a grande demanda é a Covid- 19. As pessoas precisam do tratamento, de um médico em quem possam confiar e que possam resolver o problema, prescrever o protocolo para o tratamento. E nós tratamos essas pessoas. 

Laine Furtado

About Jornal Brasileiras & Brasileiros