O novo mapa do empreendedorismo na América

Ilton Caldeira

O empreendedorismo sempre esteve presente na vida americana e ganhou ainda mais impulso em 1953 com o Small Business Act, a legislação que passou a regulamentar a forma como enquadrar as pequenas empresas do país. 

Amparada nessa base legal foi formulada a criação da Small Business Administration, a agência federal que possui a incumbência de treinar, preparar, dar suporte e qualificar os pequenos empreendedores dos Estados Unidos para que possam prosperar.

Desde que essas iniciativas federais surgiram, houve muita evolução na forma e nas técnicas de business desenvolvidas por quem deseja empreender. Mais recentemente, a pandemia deu um maior impulso para novas formas de desenvolver um negócio próprio.

Basicamente, o isolamento e o trabalho remoto fizeram com que muitas pessoas refletissem sobre seus objetivos de vida e o que vislumbravam profissionalmente. Os números ajudam a analisar os resultados. De acordo com dados do U.S. Census Bureau, entre 2019 e 2020, o lançamento de novos aplicativos de negócios cresceram 24%.

A tecnologia, é fato, foi e tem sido um grande impulsionador desse desenvolvimento e possibilitou uma maior diversificação de novas empreitadas nas mais variadas áreas dos Estados Unidos. Para muitos empresários iniciantes, a viabilidade de um negócio está atrelada a regiões que ofereçam boa estrutura de telecomunicação, um custo de vida mais baixo, sem abrir mão de qualidade de vida.

De acordo com dados de uma pesquisa elaborada pelo LinkedIn, a Flórida tem se destacado na atração de empreendedores. Entre as dez regiões metropolitanas que mais se beneficiaram com os novos ventos, as três primeiras estão no Sunshine State: Orlando; Miami-Fort Lauderdale e Tampa Bay.

Mas além dos centros metropolitanos, muitos trabalhadores e donos de pequenos negócios, aproveitaram a pandemia para explorar novas oportunidades em cidades mais acessíveis ou ficar mais perto da natureza. Muitos estão optando por se estabelecer e lançar um negócio em home office em cidades como Greenville, na Carolina do Sul; Colorado Springs, no Colorado; ou Louisville, no Kentucky. Essas regiões, segundo a pesquisa do LinkedIn, lideram a lista de cidades menores e de mais rápido crescimento para empresas iniciantes.

O relatório State of Entrepreneurship do LinkedIn oferece também um retrato de quem são esses novos empreendedores. Já faz tempo que as mulheres aparecem com destaque, liderando e lançando novos negócios em um ritmo mais acelerado do que os homens. A pandemia não diminuiu isso. 

Em 2019, as iniciativas pertencentes a mulheres cresceram 27% quando comparado ao ano anterior. Em 2020, as empresas fundadas por mulheres cresceram outros 27%. Já os business iniciados por homens cresceram 17% no ano mais desafiador da Covid-19. 

O crescimento dos negócios liderados por mulheres pode ser explicado em grande parte pelo fato de que à medida que as escolas permaneceram fechadas, e as opções de creches encolheram consideravelmente, um número recorde de mães se viram forçadas a abandonar seus empregos e se reinventarem. A saída encontrada para seguirem com a geração de renda foi soltar a ambição empresarial e amadurecer o lado empreendedor.

Mas independente do cenário econômico, ou do gênero dos novos empresários, escolher o segmento que tenha a ver com a vocação e as aspirações do candidato a empreendedor, a cidade certa e o momento apropriado para o lançamento continuam sendo regras de ouro no mundo dos negócios.

*Ilton Caldeira

Jornalista com mais de 30 anos de experiência em Economia, Política e Relações Internacionais. Membro fundador do Valor Econômico, principal jornal brasileiro de Economia e Negócios. Foi Editor de Economia do Portal iG e Diretor de Comunicação no Governo de SP (Secretaria de Planejamento). 

Recebeu os prêmios: BM&F BOVESPA de Jornalismo (2001), Selo Animec (2002), ambos em reconhecimento a coberturas jornalísticas sobre o mercado de ações no Brasil. Em 2012 recebeu o Citi Journalistic Excellence Award, programa da Universidade Columbia em Nova York, que reconhece os melhores jornalistas de Economia no mundo. 

É especialista em Relações Internacionais pela (FGV-SP) e colunista de opinião do site O Especialista, plataforma de conteúdo jornalístico que pertence ao Banco Safra. 

Nos Estados Unidos é fundador da consultoria Go Mind Company:

www.gomindcompany.cominfo@gomindcompany.com

É diretor de Comunicação da Dell’Ome Law Firm:

dellvirlaw.cominfo@dellvirlaw.com