Pence diz que EUA escolherá entre liberdade ou socialismo na eleição de 2020

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, pediu em final de fevereiro que os americanos escolham a liberdade em vez do socialismo nas eleições de 2020, na qual o presidente Donald Trump buscará a reeleição. “Se a escolha for entre liberdade e socialismo, o povo americano optará pela liberdade o tempo inteiro”, afirmou Pence na Conferência de Ação Política Conservadora (CPAC), principal reunião anual dos republicanos, realizada perto de Washington.

No discurso, o vice-presidente criticou propostas democratas, como o “Green New Deal”, um plano para que os EUA neutralizem as emissões de gases estufa em um prazo de dez anos, e o Medicare, programa para universalizar a saúde pública, proposto pelo ex-presidente Barack Obama (2009-2017).

“Isso é socialismo e pode empobrecer milhares de pessoas no mundo todo. Foi a liberdade, não o socialismo, que nos deu mais qualidade de vida, o ambiente mais limpo da terra e uma melhor assistência em saúde”, afirmou o vice-presidente.

Ao criticar o socialismo, Pence repetiu uma tendência que tem marcado praticamente todos os discursos feitos no CPAC. Na abertura do evento, o congressista republicano Mark Meadows disse que os democratas estão “abraçando o socialismo”.

A estratégia deve ser adotada por Trump na campanha de 2020. Único candidato republicano até o momento, o atual presidente afirmou que o socialismo está voltando ao discurso político americano e criticou firmemente os efeitos econômicos do sistema.

“No momento em que os EUA se transformem em um país socialista, deixaram de ser os EUA”, continuou Pence, sendo aplaudido pelos cerca de 5 mil participantes

do evento.

Vice Presidente dos EUA promete que muro estará pronto antes do fim do mandato de Trump

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, prometeu que o governo americano acabará de construir o polêmico muro na fronteira com o México antes do fim do mandato do presidente Donald Trump. “Já começamos a construir o muro. Prometo que o terminaremos antes do fim do nosso mandato”, afirmou Pence durante a Conferência de Ação Política Conservadora (CPAC).

Caso seja cumprida a promessa de Pence, o muro na fronteira entre EUA e México deve estar pronto antes de janeiro de 2021, quando termina o mandato de Trump. Se o atual presidente for reeleito nas eleições de novembro de 2020, ficará no poder até 2025.

No discurso, Pence defendeu a declaração de emergência nacional decretada por Trump em meados de fevereiro para fugir da restrição do Congresso e conseguir financiar a construção do muro.

“Não importa o que vocês leiam, ouçam ou vejam na imprensa: temos uma crise importante na fronteira sul, com níveis nunca antes vistos. Os narcotraficantes e as máfias estão explorando famílias e crianças desacompanhadas que vêm da América Central”, afirmou.

Com o decreto de emergência nacional, Trump pretende obter US$ 8 bilhões para erguer 376 quilômetros de muro na fronteira. Pence também agradeceu os agentes da Patrulha da Fronteira (CPB) e do Serviço de Imigração e Alfândegas (ICE) pelo trabalho realizado por eles com os imigrantes que cruzam a fronteira pelo México. “Conosco no poder, o ICE nunca será fechado”, ressaltou Pence.

Depois do início da política de “tolerância zero” na fronteira, organizações civis e a oposição democrata pediram o fim do ICE, órgão de deportação do governo americano.

A CPAC, que completa neste ano sua 46ª edição, é a reunião anual republicana mais importante dos Estados Unidos.

About Jornal Brasileiras & Brasileiros