“Se fechar tudo vai ser horrível. A economia como um todo será afetada”

Luciana Bistane

O advogado Alexandre Piquet mora nos Estados Unidos há vinte anos. Nesse período conviveu com governos democratas e republicanos. E acredita que independentemente da linha ideológica de quem está no poder, o que fala mais alto é a economia. 

Ele acredita que o país tem capacidade de se recuperar rapidamente dos estragos causados pela pandemia do coronavírus, desde que o novo presidente não decrete o lock down.  

“Se fechar tudo vai ser horrível. A economia como um todo será afetada”, diz ele.

Quanto às relações comerciais com o Brasil, ele não acha que a postura de Jair Bolsonaro de apoio incondicional a Donald Trump vá influenciar nas transações entre os dois países. O advogado lembra que o Brasil é o maior parceiro comercial da Flórida e acredita que continuará sendo. 

Acostumado a assessorar pessoas que querem investir no país, ele diz que o que mais tem influência nas relações comerciais é o dólar. Quando a moeda americana perde valor, aumenta o número de brasileiros que querem investir em ações ou na compra de imóveis. Mas, nesse cenário, os exportadores se retraem porque a venda deixa de ser tão interessante. 

Piquet reconhece que o movimento anti-racista ajudou a eleger Biden, mas não deve trazer mudanças nos direitos civis conquistados nas décadas de 50 e 60 do século passado.  

“Existem grupos extremistas e policiais mal treinados que agem com força excessiva nas abordagens, mas hoje se um negro, um gay ou um estrangeiro de qualquer nacionalidade quiser entrar numa faculdade, vai entrar. Se precisar de empréstimo estudantil vai conseguir e se quiser trabalhar, também. Tudo isso está assegurado em lei”, diz ele. 

Piquet vê com bons olhos as promessas de Biden em relação ao meio ambiente. O presidente eleito fala em subsidiar a construção de moradias sustentáveis e a fabricação de carros elétricos. As duas iniciativas, se concretizadas, além de ser bom para a ecologia, vão gerar postos de trabalho, o que é muito bom, segundo ele. 

Já para os estrangeiros que querem o green card, o advogado diz que está aberta uma “janela de oportunidades”. Isso não tem a ver com a vitória de Biden, mas sim com um fato inédito na história da imigração. 

Neste ano fiscal que começou no dia primeiro de outubro e vai até 30 de setembro de 2021, está mais fácil conseguir o green card para quem tem habilidades de interesse nacional ou consideradas extraordinárias como esportista, professor, executivo, escritor ou em qualquer outra área. 

Motivo: para promover a legalização, pela primeira vez, os 260 mil vistos de residência permanente, que não foram concedidos no ano passado, serão incorporados aos 140 mil destinados às categorias EB1, 2, 3, 4 e 5. Portanto, 400 mil pessoas podem ser beneficiadas. 

“Se você tem alguma habilidade de interesse nacional ou extraordinária ou ainda, se for investir alto nos Estados Unidos e quer um green card, procure um especialista que possa te ajudar. O momento é agora”, conclui Piquet.

Alexandre Piquet é Sócio-fundador da Piquet Law Firm P.A.,.Advogado nas áreas do Direito Imigratório, Imobiliário, Empresarial e Tributário. Há 20 anos é Formado em Direito pela Faculdade de Direito Milton Campos, no Brasil.Doutor em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade Saint Thomas, nos Estados Unidos,Participou de vários cursos sobre Direito Internacional e Comparativo na Universidade Maria Cristina na Espanha.Alexandre Piquet é autor do livro “Investindo na América”, em 2015.