TEMPO DE APOSENTADORIA – por Carlos Batalha

Carlos Batalha

“AS DORES E AS DELÍCIAS DE ENVELHECER”

Assim, o filósofo Sêneca nos instrui em como podemos, e devemos, fazer da inevitável e arrebatadora terceira idade, um tempo em que se possa, sim, sonhar, desejar e conquistar.

Esqueça aquela imagem de avós e avôs sentados na cadeira de balanço esperando apenas a vida passar. Porque o balanço que a gente quer agora, é o das emoções, das gargalhadas, das montanhas russas e dos batimentos acelerados. Do alto dos meus 70 anos, vividos e sobrevividos sempre com aqueles que amo, posso ser categórico: envelhecer nada mais é do que um verbo que eu conjugo como quiser. Minha rotina, que em nada é monótona ou cinza, me perdoem os mais céticos; é a de um bonitão de 35 anos!

Entre ir ao meu escritório, religiosamente e pontualmente todos os dias, atender meus clientes, ser pai de 4 filhos maravilhosos, netas encantadoras e marido de uma linda mulher 25 anos mais nova, me faltam horas no dia para contabilizar. Me aposentei já há alguns anos. Pelo menos no papel. O salário, $318,00, pouco para um padrão de vida pré-estabelecido, me chocou no início.

Meu processo de transição teve início assim que comecei a tomar consciência de sua aproximação. Constituí meu plano de aposentadoria em: reorganização do tempo para abarcar novas experiências na vida familiar, no lazer, na vida sócio-comunitária e manter minha agência de turismo que já existe há 29 anos, além do Property Management; e evitei assim um enfrentamento mais objetivo das condições frustrantes às quais muitos idosos ficam expostos.

Tanto aqui nos Estados Unidos quanto no Brasil, ser velho, e isso graças à interatividade e novas possibilidades que nos foram apresentadas, ganhou um novo contorno. Aposentar-se em 2020 significa cultivar grandes aspirações e novos projetos. Estar conectado, informado e sentir-se incluído e necessário. É olhar pra trás, e analisar o quanto se errou, aprendeu, caiu e levantou. E, principalmente, o quanto se viveu.

Muitas são as formas em que o idoso pode se manter ativo após a aposentadoria, considerando que, atualmente, há grande preocupação em formular políticas públicas e sociais que promovam o envelhecimento saudável da população. Aqui nos Estados Unidos vejo essa preocupação ainda maior e com resultados visíveis. Uma ida a qualquer parque do complexo Disney ou Universal ou em um cruzeiro marítimo, e será visível a inclusão do idoso nesse cenário de trabalho. Grande parte do quadro de funcionários passa facilmente dos 60 anos. Eles estão lá, sorrindo, fazendo novas amizades e mostrando sua capacidade e importância.

Cheguei nesse país em 1981, e desde então a minha luta, assim como a de tantos imigrantes, foi árdua. Nós, brasileiros, temos no nosso DNA a garra, a resiliência, o “não se abalar”, não desistir e acreditar, apesar das adversidades. Carrego Batalha no sobrenome e o que de mais valioso espero deixar de legado aos meus 4 filhos é exatamente isso: Batalhar sempre sabendo que a vitória vem de Deus. Ninguém pode te tirar isso.

Não é um número, que pode estar na casa dos 50, 60, 70 ou 80, que pode nos parar. A mim, pelo menos, não vai! Meu pai completa esse ano 96 anos com muita lucidez e força. E eu estou nessa rota também!

Então vamos que vamos:  viver e vencer. E tudo isso só foi possível com a ajuda de DEUS em minha vida.

Carlos Batalha, casado com Raquel Batalha, pai de Fabiano, Lui, Vicky e Davi, nascido em Santos (8ª Maravilha do mundo) no ano de 1950, formado em zootecnia, administração de empresa e teologia. Ingressou no turismo aos 17 anos, conquistando vários premios como precursor, desbravador e pioneiro em vários roteiros. Em 1981, recebeu a cidadania da Flórida das mãos do prefeito de Miami. Esteve presente também na inauguração da Disney World, em 1971. Desde então, começou a empreender e investir no mercado americano ao trazer o guaraná e a cerveja Antártica, em 1991. Em 1996, abriu uma empresa de transporte, CAB Tour. Nos últimos anos, além de manter a empresa de turismo Mais Brasil Tour juntamente com a Locadora de carros, Carlos Batalha atua diretamente como sócio da Skyland Management USA.