Uso de cigarros eletrônicos exacerba disfunção celular

A exposição ao líquido com sabor usado nos cigarros eletrônicos pode exacerbar a disfunção das células endoteliais, o que frequentemente precede doenças cardíacas, conforme revelou um estudo divulgado em 28 de maio.

A pesquisa, a primeira desse tipo e publicada na revista médica “Journal of the American College of Cardiology”, tinha foco nas células endoteliais, que ficam no revestimento interno dos vasos sanguíneos, nos vasos linfáticos e no coração.

“Nossos dados sugerem que o uso de cigarros eletrônicos pode levar a uma disfunção endotelial aguda, que foi validada por meio da exposição in vitro a e-líquido (líquido usados nesses aparelhos) ou soro derivado de pacientes que usam cigarros eletrônicos”, explicou Joseph C. Wu, diretor do Instituto Cardiovascular na Escola de Medicina da Universidade de Stanford.

Autor principal do estudo, Wu indicou que o uso dos cigarros eletrônicos nos Estados Unidos e no mundo todo “está aumentando rapidamente com a crescente preocupação” por parte de cientistas e das comunidades que formulam as políticas de saúde pública.

“Nossas descobertas são um primeiro passo importante para preencher este vazio ao proporcionar conhecimento mecânico sobre como os cigarros eletrônicos causam disfunção endotelial, que é um fator de risco grande para o desenvolvimento de doenças do coração”, explicou.

Os pesquisadores analisaram células endoteliais criadas a partir de células-tronco pluripotentes induzidas de três indivíduos saudáveis. Participaram do estudo cinco não fumantes saudáveis, cinco fumantes de cigarros comuns, dois usuários de cigarros tanto eletrônicos como convencionais e dois fumantes de cigarros eletrônicos.

Todos, de acordo com a publicação, “eram indivíduos saudáveis livres de outros fatores de risco cardiovascular grandes” nos quais foram observados os diferentes efeitos dos cigarros segundo o sabor, os quais variaram entre moderado a mais forte ou tóxico.

Para conhecer os efeitos dos e-líquidos nas células endoteliais, os cientistas aplicaram às células-tronco uma dissolução de seis líquidos disponíveis no mercado com diferentes concentrações de nicotina. Isso lhes permitiu constatar que os líquidos com sabor tinham efeitos variáveis na sobrevivência celular e observar a presença de marcadores pró-inflamatórios que, segundo o relatório, podem desempenhar um papel crítico no desenvolvimento de uma doença vascular.

Segundo a publicação, um estudo apresentado no início deste ano na Sessão Científica Anual do American College of Cardiology revelou que os adultos que dizem fumar ou vaporar são significativamente mais propensos a sofrer um ataque cardíaco, uma doença coronária ou depressão em comparação com aqueles que não usam estes aparelhos ou qualquer produto com tabaco.

About Jornal Brasileiras & Brasileiros