Viver no exterior faz bem ou mal?

Cecilia Weissberg

Vim para os Estados Unidos por Amor! Deixei tudo para trás para viver com a pessoa amada. Teria ido pra onde fosse, mas sinceramente, sendo Estados Unidos, me senti mais confiante, por ser um País de prosperidade e oportunidades. Obviamente foi desafiadora essa mudança. As adaptações foram acontecendo por conta das dificuldades com o idioma, cultura, lidar com as saudades, não ter amigos e familiares. Confesso que chorei várias vezes por isso. 

No entanto, as “dificuldades” nos deixaram mais próximos; ele fazia de tudo para estar ao meu lado e amenizar as saudades da minha família. Me ajudou a trazer meus filhos e proporcionou minhas viagens ao Brasil. Hoje vejo que esta situação fortaleceu nosso companheirismo, nossa cumplicidade. 

Mas, sem dúvida, os primeiros meses foram cruciais. Foi preciso manter o foco no objetivo (felicidade ao lado dele), coragem para enfrentar o mundo novo (principalmente com a falta do idioma) e correr atrás da independência (no caso, atrás de trabalho).

E todo esforço, aprendizado e adaptação valeram a pena.

Fui cada vez mais acolhendo o país estrangeiro como meu também. Assim consegui entender que somos realmente seres do mundo, somos nós que criamos nossa própria realidade e a minha hoje é o que construí aqui. Somos todos seres dependentes, portanto, toda esta construção não foi sozinha. Foi ao lado de muitas pessoas amigas, colegas de trabalho, familiares, vizinhos.

Minha conclusão é que sem dúvida quando o casal se importa com a felicidade do outro, com as carências e angústias, fica mais fácil o entendimento e a felicidade em estar juntos vai superando e buscando as soluções. Não dá para dizer nada sobre o futuro das relações, porém, guardo comigo sempre um lema:

“Viver um dia de cada vez,”

Cecilia Weissberg 

Radialista e Jornalista nascida, em São Paulo, SP. Trabalhou em várias emissoras de rádio e TV brasileiras como  produtora comercial, produtora artística e jornalista. Nos Estados Unidos, envolveu-se com a comunidade brasileira da Flórida. 

Atualmente é engajada aos eventos do Focus Brasil  Foundation e apresenta o programa de rádio – Milk Shake – na Web Radio Gazeta News da Florida.