Watts que gastamos para ir e vir

Rafael Vergne Viana

Este assunto é amplamente discutido no mundo automobilístico e, este mês, trago esta novidade. Quero falar sobre a Ford, que com uma série de lançamentos clássicos, trouxe de volta um período de ouro da fábrica, de Detroit. A empresa anunciou a chegada do executivo Jim Farley, que tem a tarefa de mudar o destino da montadora.

A gigante passou por maus bocados num passado recente, e foi muito criticada em manter no comando da empresa um dirigente fora do setor automotivo. A Ford esteve à beira da falência, durante o período de recessão que teve início em 2008.

Um dos produtos líderes da marca é a pick-up F-150, que vem ganhando diversas atualizações para competir no acirrado mercado de pick-ups e SUVs.  Está em prática um plano de investimento na área de veículos elétricos, na casa dos trinta bilhões de dólares, até 2023. Caminhonetes já saem de fábrica com geradores nas caçambas, e outras inovações trazem finalmente concorrência à altura da Tesla, que já tem o domínio de mercado com a Cybertruck: pickup elétrica mais esperada e recordista de vendas, apesar de ter um design ainda incompreendido pela maioria dos consumidores. Quesito este, que as F-150 são campeãs; com suas formas quadradas, que se encaixam como uma luva às necessidades do dia a dia do trabalhador. O modelo tem presença garantida no mercado há décadas; e, inclusive, é líder de vendas nas categorias movidas a derivados de petróleo, como gasolina e diesel.

A Ford acaba de apresentar a Lightning, modelo que carrega características campeãs há décadas, recebe banco de baterias e no lugar do motor um grande porta malas, que detém de 4 tomadas e duas portas USB para o deleite dos proprietários. Com características inovadoras, como segurar a carga elétrica de uma casa em até quatro dias em caso de apagão, e por aí vai, a pickup contabilizou 55000, (cinquenta e cinco mil) pedidos nas primeiras 48 horas, e a marca demonstrou total sucesso nos esforços para o feito, tal como a compra de uma empresa de gestão da área somente para a nova categoria de suporte para clientes de frota e negócios, e a criação da linha PRO, que nada mais é do que carros voltados para integrar linhas de trabalho, com a oferta de redução de custos e aproveitamento máximo do investimento do cliente empreendedor da montadora.

Existem várias propostas de montadoras neste seguimento automobilístico. Peço que você busque sites para se aprofundar conhecimento neste produtos. Há uma explosão de novidades no setor, que emerge pós pandemia e me parece estar nos levando ao futuro a centenas de quilômetros por hora.

Tenho admiração pela minha caminhonete movida a gasolina. Mas quero ressaltar sobre os novos lançamentos e o impacto que estão causando no mercado. O relançamento do Ford Bronco, totalmente redesenhado e que já está com fila de dois anos para entrega das encomendas. A Van Ford Transit Elétrica e a pick up de pequeno volume batizada de Maverick, que também deixa qualquer consumidor com o dedo trêmulo e pronto para clicar em “comprar” no site da Ford. A mais tradicional fábrica de automóveis do mundo, que agora se reinventa, e hoje se comporta como uma empresa incubadora do tipo StartUp.

Os concorrente estão se mobilizando, e podemos nos preparar para uma tempestade de maravilhas movidas a elétrons, como a Dodge/Ram que promete lançamento de seus carros musculosos e sua pick up 1500 no formato elétrico, criando uma briga de muita faísca como sempre ocorreu entre as 2 marcas.

A Chevrolet também anunciou que a Cadillac vai ter modelos elétricos para um futuro próximo. Vai se acostumando, nos próximos 5 anos, iremos viver uma revolução no mercado automobilístico. Escapamento barulhento  será coisa do passado. Ficará apenas na memória dos entusiastas de automóveis antigos a cada dia, fica mais distante do nós, e mais perto do fim. 

ºTermino com uma pergunta para a reflexão: a sua garagem tem tomada de energia?

Um abraço a todos!